sábado, 24 de janeiro de 2009

A GRAFOLOGIA NOS TEMPOS DE CRISE


A Grafologia é utilizada, predominantemente, com o objetivo de admissão profissional. Cada vez mais as empresas se apóiam na técnica para tomar as mais importantes decisões. Isto, porque contratar um profissional significa muito mais do que simplesmente preencher uma vaga; a toda contratação existe uma estratégia de negócio atrelada. Deve ser conduzida com instrumentos eficazes.
A Grafologia propicia a análise precisa da personalidade do profissional a fim de identificar se possui ou não as competências que a empresa necessita para que sejam mantidos os valores institucionais cultivados e atingidos os objetivos propostos.
É sabido que um erro de contratação resulta num custo muito elevado para a empresa, bem mais do que o investimento em Perfis Grafológicos.
Em menor proporção do que o objetivo de contratar, algumas empresas adotam a técnica por meio da escrita, a Grafologia, para auxiliar no desenvolvimento do funcionário que recebe um feedback do próprio Grafólogo para autoconhecimento. É uma situação clara e dirigida para o único objetivo de ampliar a percepção pessoal.
Ante a uma crise econômico-mundial percebo que é a mesma técnica que, neste momento, pode ser utilizada para identificar no quadro de funcionários, quais os talentos que podem compor uma equipe estratégica, capazes de identificar soluções diferenciadas aos problemas situacionais; quais os que não devem ser demitidos que podem sinalizar oportunidades; quais os mais hábeis em planejamento para curto, médio e longo prazo e ainda quais os que são perseverantes e possuem perfil de liderança, de decisão e de criatividade?
É tempo de acertar com a crise, como se deseja acertar numa contratação!
Por outro lado, e como premissa, a Grafologia visa a favorecer o desenvolvimento humano e por isso destacam-se nos Perfis Grafológicos as qualidades individuais.
Num momento (de crise) que gera mudanças, os profissionais têm a sua frente a Grafologia como possibilidade de autoconhecimento, de estar diante da verdade sobre si mesmo, recebendo o seu perfil e o feedback. Trata-se de uma forma de encorajamento para um novo caminho e uma nova atitude.
Sendo assim, e por conseqüência, o currículo profissional que apresenta as informações pessoais e as qualificações padrão, pode ter um novo valor, um diferencial na apresentação, agregando o perfil grafológico para a empresa.
Quanto à conduta do Grafólogo já experiente, como de praxe, em ambos os casos, no trabalho para a empresa e para o profissional, deve ser Ética, isenta de preconceitos, dos sentimentos e circunstâncias pessoais.
A Grafologia nos tempos de crise é, portanto, um agente que pode transcender os processos na empresa e o redirecionamento do profissional. Pode positivamente, auxiliar no realinhamento dos talentos no âmbito empresarial e na perspectiva individual.

Por Cristianne Valladares
E-mail: cristianne@enfoquerh.com.br
Grafóloga Profissional da Sociedade Brasileira de Grafologia - SOBRAG

2 comentários:

Simone disse...

Olá Cris!! Parabéns peli artigo! Muito Rico..

Abraços

Simone

simoninha disse...

Oi Cristianne,
Parabéns pelo artigo. Está muito bem escrito, de foma claro e objetiva.
Lucia/RS